Governo recupera local do Macau Jockey Club para espaço multifuncional

Jenny Ortiz há 1 mês
Governo recupera local do Macau Jockey Club para espaço multifuncional

Após a conclusão de sua última corrida, o terreno do Macau Jockey Club foi recuperado pelo governo de Macau. O Secretário de Transportes e Obras Públicas emitiu uma ordem publicada no Boletim Oficial, anulando a concessão de 362.000 metros quadrados detida pela Macau Horse Race Co, sem compensação ao antigo concessionário.

O Macau Jockey Club encerrou suas operações em 1º de abril, marcando o fim de mais de quatro décadas de corridas de cavalos. Apesar de uma participação de aproximadamente 3.000 espectadores em suas últimas corridas, as dificuldades financeiras de longa data do clube levaram o governo a decidir rescindir o contrato de concessão, anunciado em janeiro.

O governo atribuiu o fechamento a uma queda significativa na participação e na receita de apostas. O desenvolvimento sinaliza uma mudança importante no cenário econômico que outrora sustentava as corridas de cavalos em Macau.

Decreto do governo: Terreno reverte ao domínio público

Um despacho recente do governo declarou a reversão imediata do terreno ao domínio público do estado de Macau, sem compensação ao antigo concessionário devido ao vencimento da concessão.

Renovação da concessão e desafios financeiros

Apesar das dificuldades financeiras, o Macau Jockey Club teve sua concessão estendida até agosto de 2042, comprometendo-se a investimentos substanciais na modernização das instalações do hipódromo, totalizando MOP 3,4 bilhões de patacas (€ 389,5 milhões).

Planos e rescisão da concessão

Os planos iniciais do Macau Jockey Club incluíam um projeto turístico previsto para 2026, englobando hotéis, áreas de lazer, instalações esportivas, restaurantes, lojas, um museu e uma escola de equitação.

No entanto, citando dificuldades financeiras e perdas superiores a MOP 2,5 bilhões (€ 236,4 milhões), o concessionário solicitou a rescisão do contrato, levando à decisão do governo no início deste ano.

Futuro não relacionado a jogos: Direção do uso do terreno

O Chefe do Executivo Ho Iat Seng reiterou que o terreno retomado não será destinado a fins de jogos no futuro, sinalizando uma mudança nas prioridades de uso e desenvolvimento do terreno em Macau.

Share it :

Recommended for you
Júlia Moura
há 12 horas
Júlia Moura
há 13 horas
Garance Limouzy
há 16 horas
Júlia Moura
há 17 horas