Domínio no mundo das apostas na África – considerações financeiras

Katy Micallef há 2 meses
Domínio no mundo das apostas na África – considerações financeiras

Em um recente debate em painel com a participação de Oliver De bono, CEO da Quantum Gaming, Arnold Karanja, sócio da Mwenje e Karranja Advocates, e John Kamau, fundador da Betconsult Africa, o foco foi nas grandes apostas e na compreensão das nuances do planejamento financeiro à medida que operadores e provedores de plataformas entram no mercado africano.

Considerações sobre Planejamento Financeiro:

Os debatedores enfatizaram a importância do planejamento financeiro estratégico, especialmente em mercados africanos diversos com jurisdições variadas. Assim como nos mercados europeus, os GEOs da África exibem abordagens diferentes para tributação, IVA e taxas regulatórias. Oliver De bono, um especialista jurídico com experiência em vários países africanos, destacou duas considerações críticas para os operadores:

  • Aquisição de Licença vs. Aquisição de Empresa: Os operadores devem decidir se obtêm uma licença em um território específico ou adquirem uma empresa existente. A diligência é essencial, e os cronogramas para o planejamento financeiro podem diferir com base na abordagem escolhida.
  • Consultoria Tributária: Contratar um consultor tributário confiável é crucial para navegar no complexo cenário de impostos, incluindo impostos sobre consumo, imposto retido na fonte, imposto corporativo e imposto sobre jogos sobre a Receita Bruta de Jogos (GGR). Erros no registro de impostos podem levar a obrigações financeiras inesperadas.

John Kamau acrescentou insights sobre seleção de mercado, recomendando que os operadores escolham países com regulamentações estáveis, boa penetração de internet e móvel e modelos de pagamento favoráveis.

Impostos sobre Jogos no Quênia:

O debate examinou casos concretos no Quênia, destacando a estrutura tributária dos jogos. No país, o imposto sobre jogos é de 15% da GGR, com taxas adicionais retidas na fonte sobre ganhos. Surgem desafios quando impostos como o retido na fonte e o de exercício sobre Pankas (plataformas) são repassados aos clientes, o que pode favorecer sites ilegais que não pagam esses impostos.

Aprendendo com Mercados Internacionais:

Os debatedores destacaram a importância de aprender com experiências de mercado internacionais para evitar armadilhas. Eles elogiaram o Quênia por manter taxas de licenciamento razoáveis, reconhecendo o impacto negativo que taxas excessivas poderiam ter na indústria e nos operadores.

Custos de Licença no Quênia:

Os custos de licença no Quênia foram discutidos, revelando que uma licença de corretor de apostas pode ter taxas governamentais em torno de 10.000, mas o custo total poderia ser cinco a seis vezes maior. As licenças de cassino, por outro lado, podem ter taxas governamentais em torno de 80.000, com o custo total potencialmente dobrando. Os debatedores recomendaram envolver especialistas locais e considerar a aquisição de empresas existentes com diligência devida.

À medida que a indústria de apostas africana evolui, os operadores e provedores de plataformas devem navegar em cenários financeiros e regulatórios complexos. Insights de profissionais experientes destacam a importância do planejamento financeiro estratégico, consultoria tributária e aprendizado tanto com experiências de mercado local quanto internacional. Operadores que desejam entrar no mercado africano devem priorizar a diligência devida, envolver expertise local e adaptar suas estratégias com base nos desafios e oportunidades específicos apresentados por cada jurisdição.

Share it :

Recommended for you
Júlia Moura
há 2 dias
Júlia Moura
há 2 dias
Júlia Moura
há 2 dias
Jenny Ortiz
há 2 dias