Sanções para fornecedores B2B são discutidas na convenção ICE para regulamentação brasileira

Júlia Moura há 2 meses
Sanções para fornecedores B2B são discutidas na convenção ICE para regulamentação brasileira

Apesar dos debates intensos ocorridos durante a convenção ICE na semana passada, uma das principais indagações dos participantes sobre a regulamentação brasileira diz respeito aos requisitos que serão impostos aos fornecedores B2B que almejam ingressar no mercado brasileiro. 

Conforme afirmaram diversos advogados brasileiros presentes no evento, a resposta breve é que esses fornecedores não precisarão obter licença. 

No entanto, em algum ponto de um futuro próximo, embora ainda indefinido, esses fornecedores poderão ser obrigados a efetuar registro junto à recém-criada Secretaria de Prêmios e Apostas do Ministério da Fazenda do Brasil, além de certificar sua tecnologia. 

De acordo com Udo Seckelmann, advogado do escritório Bichara & Motta, o processo de certificação será terceirizado para laboratórios de testes independentes, como o GLI, e não será conduzido pelo governo. 

Apesar da promessa de uma portaria regulatória abordando os requisitos de certificação, esta ainda não foi publicada. Além disso, nenhuma portaria da nova Secretaria de Prêmios e Apostas pode ser assinada até que o chefe do departamento seja oficialmente nomeado. Até o momento, presume-se que essa função será ocupada pelo conselheiro especial do Ministério das Finanças, José Francisco Manssur, que deverá tomar posse formalmente em 20 de fevereiro. 

Além da necessidade de que as operadoras tenham um acionista brasileiro, outro ponto central discutido na ICE foi a possibilidade de permitir algum tipo de oferta de bônus. 

Durante um painel de discussão, Mark Warrington, diretor de assuntos jurídicos da Flutter, destacou a importância de uma interpretação mais flexível das restrições de bônus para viabilizar taxas de canalização eficazes no atual mercado offshore. 

Embora Warrington espere que a futura regulamentação brasileira traga restrições eficazes e clareza, além de uma interpretação sensata para acomodar ofertas de bônus por operadores regulamentados, Pedro Simões, sócio do Veirano Advogados, há muito tempo alerta que os bônus não seriam permitidos. Ele salientou a histórica ênfase brasileira na proteção ao consumidor e argumentou que as restrições aos bônus não deveriam surpreender quem está familiarizado com essa abordagem. 

Os especialistas brasileiros da ICE também abordaram o contínuo aumento nos acordos de patrocínio feitos por operadoras de apostas no Brasil. No entanto, Udo Seckelmann, do escritório Bichara & Motta, afirmou que o recente acordo recorde com o Corinthians, no valor de R$ 370 milhões (US$ 76 milhões) ao longo de três anos, representa o ápice e não indica uma tendência futura. 

Seckelmann observou que o mercado atingiu seu pico em termos de valor de mercado para acordos de patrocínio e atividades relacionadas às apostas antes da regulamentação brasileira, citando quedas na receita bruta de jogo de algumas operações como um sinal de estabilização na febre do setor. 

SiGMA Eurásia 

A próxima edição da SiGMA Eurásia terá lugar no InterContinental Dubai Festival City, reafirmando o sucesso do evento. Agendado para os dias 25 a 27 de fevereiro de 2024, esse encontro proporcionará oportunidades únicas aos participantes. Além de interagir com renomados especialistas do setor, eles terão acesso às tecnologias e inovações mais recentes, além de terem contato direto com influentes tomadores de decisão. Além disso, essa cúpula também fornecerá insights valiosos sobre novos mercados em ascensão. 

SiGMA África 

O Grupo SiGMA está estrategicamente se posicionando diante do cenário em expansão dos jogos na África, com o evento SiGMA África na Cidade do Cabo – África do Sul, que ocorrerá no dia 11 de março. Como o mercado do continente está prestes a ter um crescimento exponencial, impulsionado por um ecossistema digital em constante evolução e pela crescente conectividade móvel, o Grupo SiGMA reconhece a importância de promover colaboração e inovação na indústria. Ao reunir as principais partes interessadas e visionários do setor de jogos, a SiGMA tem como objetivo ser um catalisador de progresso, impulsionando a África rumo a uma nova era de prosperidade e oportunidades. 

Conforme inicia a contagem regressiva para o evento, cresce a ansiedade em relação ao que promete ser um encontro notável de aficionados e pioneiros dos jogos na empolgante Cidade do Cabo. 

Share it :

Recommended for you
Júlia Moura
há 1 dia
Júlia Moura
há 1 dia
Júlia Moura
há 1 dia
Lea Hogg
há 1 dia