Aposta surpreendente do Primeiro Ministro Sunak na política de Ruanda

Lea Hogg há 2 meses
Aposta surpreendente do Primeiro Ministro Sunak na política de Ruanda

O Primeiro Ministro britânico Rishi Sunak, à esquerda na foto, encontrou-se em uma situação inesperada ao concordar com uma aposta de £ 1.000 relacionada à sua política em Ruanda. Mesmo afirmando não ser uma pessoa de apostas, Sunak apertou as mãos com Piers Morgan, da TalkTV, à direita na foto, concordando que os voos de deportação começariam antes da próxima eleição. A aposta, que será doada para caridade, ultrapassa os pagamentos de £ 900 para o custo de vida dados a domicílios elegíveis em benefícios testados por meio de recursos.

Sunak defendeu suas ações afirmando que a aposta era uma tentativa de enfatizar seu compromisso absoluto com a política. Ele rejeitou sugestões de que estava desconectado das pressões financeiras enfrentadas pelos lares comuns, argumentando que os cortes do governo no seguro nacional e o suporte de £ 100 bilhões para os mais vulneráveis na sociedade forneceram amplo apoio.

Caminho a seguir

A política em Ruanda, parte do compromisso de Sunak em “parar os barcos”, busca dissuadir as pessoas de atravessar o Canal. No entanto, o plano foi atrasado por desafios legais, e nenhum voo de deportação decolou ainda. Na tentativa de reviver a política, o governo introduziu legislação declarando Ruanda um país seguro. No entanto, o projeto precisa da aprovação da Câmara dos Lordes, onde enfrentou oposição significativa, antes de se tornar lei.

Apesar desses desafios, o governo mantém a meta de realizar voos até a primavera. Sunak reafirmou seu compromisso com a política, afirmando: “Quero colocar as pessoas nos aviões”.

A eleição geral no Reino Unido deve ocorrer na segunda metade deste ano, com a obrigação legal de que ocorra até o final de janeiro de 2025.

O histórico de Sunak como jovem banqueiro de investimentos que se envolvia em apostas de spread “bastante arriscadas” em esportes veio à tona após sua alegação de não ser uma pessoa de apostas. Contudo, se isso o caracteriza como um ex-jogador reformado parece ser um tema em debate.

Quais organizações de caridade se beneficiarão da aposta do Primeiro Ministro?

Diversas organizações de caridade estiveram envolvidas em desafios legais relacionados à política em Ruanda, e estas poderiam potencialmente se beneficiar da aposta feita pelo Primeiro Ministro Rishi Sunak. Essas organizações de caridade incluem:

Asylum Aid: Esta organização de caridade alegou que a política era sistematicamente injusta. Embora tenha sido decidido, eventualmente, que a Asylum Aid não deveria prosseguir com a alegação uma vez que outros apresentaram reclamações semelhantes, a organização desempenhou um papel crucial ao iniciar o assunto.

Detention Action e Care4Calais: Essas organizações também apresentaram alegações para Revisão Judicial. Apesar de suas alegações terem sido infrutíferas devido à falta de legitimidade, o tribunal elogiou essas organizações por fornecerem apoio prático e financeiro para pessoas sujeitas a controle de imigração.

Aposta do Primeiro Ministro: Críticas e Reações Públicas

A aposta foi recebida com críticas significativas, levantando questões sobre a compreensão de Sunak das pressões financeiras enfrentadas pelos lares comuns.

A reação geral à aposta de £ 1.000 do Primeiro Ministro Rishi Sunak em sua política em Ruanda tem sido em grande parte crítica. A aposta foi percebida como um sinal de que Sunak está “totalmente desconectado das pessoas trabalhadoras” e que está “arriscando a vida das pessoas”.

Sunak enfrentou críticas públicas após a aposta, levando-o a recuar e afirmar que não é uma pessoa de apostas.

Críticas da oposição: Os partidos de oposição criticaram Sunak pela aposta. O Partido Trabalhista o chamou de “desconectado” e o criticou por apostar em uma política que ele perdeu o controle. O SNP denunciou Sunak ao assessor independente de interesses ministeriais, alegando que a aposta poderia ser uma violação do código ministerial.

Resposta da mídia: A mídia também criticou as ações de Sunak. Ele foi duramente criticado por “arriscar a vida das pessoas” após a aposta no esquema de deportação em Ruanda. Ele também foi criticado por estar “desconectado” das pessoas trabalhadoras.

Atenção! A próxima conferência SiGMA Eurásia acontecerá em Dubai entre 25 – 27 de fevereiro

Share it :

Recommended for you
Júlia Moura
há 1 dia
Júlia Moura
há 1 dia
Júlia Moura
há 1 dia
Lea Hogg
há 1 dia