Sheik do Catar pode comprar o Manchester United

Content Team há 1 ano
Sheik do Catar pode comprar o Manchester United

O banqueiro de investimento e investidor, Sheikh Jassim bin Hamad al-Thani, está sendo apontado como um dos dois licitantes na venda do Manchester United Football Club.

Conhecido por manter um perfil muito discreto, Sheikh Jassim é apaixonado por futebol e torce pelo Manchester United. Ele apresentou interesse ao fazer uma oferta pelo clube. A venda do clube da Premier League estabelecerá um novo preço recorde para um time esportivo.

Um dos dois licitantes

O Manchester United é atualmente propriedade de uma família americana, os Glazers. Eles compraram o clube em 2005 em uma compra alavancada. O único outro candidato ao clube é o bilionário britânico Sir Jim Ratcliffe. Os torcedores do clube estão esperando ansiosamente pelo resultado e consta que não ficaram muito satisfeitos com a maneira como os Glazers vinham conduzindo o clube.

Sheikh Jassim prometeu devolver o Manchester United à sua “antiga glória”. Ele se comprometeu a investir de forma sustentável nos jogadores do clube e em sua infraestrutura. Isso será feito através de um veículo estabelecido chamado Nine Two Foundation. A oferta de Sheikh Jassim é livre de dívidas e o clube deve ser avaliado em cerca de US$ 4,5 bilhões. Esta é uma oferta privada e ficou muito claro que o acordo não terá nenhuma conexão com o estado do Catar.

Sheikh Jassim bin Hamad al-Thani

Jassim bin Hamad bin Khalifa Al Thani nasceu no Catar em 1978. Ele é o segundo filho do ex-primeiro-ministro do Catar, Sheikh Hamad bin Jassim al Thani, também conhecido como HBJ. Segundo a Forbes, a riqueza de seu pai é registrada em US$ 1,3 bilhão, no entanto, em Doha, há rumores de que ele é muito mais rico do que isso. Sheikh Jassim foi educado no Reino Unido e frequentou a Royal Military Academy em Sandhurst e o International College of Sherborne School em Dorset. Ele é um primo distante do atual Emir.

Ingressou no Credit Suisse em 2010, quando tinha 28 anos. Na época, representava os interesses dos investidores do Catar no banco suíço, onde foi investido bilhões pelos catarianos. Seus ex-colegas o descrevem como um indivíduo quieto e discreto, que nunca falava durante as reuniões. Ele é respeitado como um empresário muito astuto.

Além disso, gerenciou o portfólio de investimentos familiares da Mirqab Capital e as funções que ocupa agora incluem a presidência do QInvest e do Qatar Islamic Bank, do qual é acionista majoritário.

Artigos relacionados:

Governo do Reino Unido publica livro branco sobre futebol

Share it :

Recommended for you
Júlia Moura
há 6 horas
Júlia Moura
há 7 horas
Lea Hogg
há 10 horas
Garance Limouzy
há 11 horas