Segredos comerciais e contra-argumentos: disputa entre DraftKings e Hermalyn

Lea Hogg há 3 meses
Segredos comerciais e contra-argumentos: disputa entre DraftKings e Hermalyn

Michael Hermalyn refutou as alegações feitas pela DraftKings de que ele teria roubado segredos comerciais ao se mudar para a Fanatics em uma petição judicial, descrevendo a ação judicial como nada mais do que “assassinato de caráter”.

Hermalyn, um executivo experiente em apostas esportivas, encontrou-se no centro de uma disputa legal quando seu ex-empregador, DraftKings, o acusou de roubar segredos comerciais ao se mudar para seu novo cargo na Fanatics. No entanto, Hermalyn refutou essas alegações em uma petição judicial, descrevendo a ação judicial como nada mais do que “assassinato de caráter”.

Acusações e retaliações

Segundo Hermalyn, a ação judicial da DraftKings reflete uma “cultura de retaliação” contra ex-funcionários. Ele acredita que a intenção da empresa é “incutir medo” em outros que estejam contemplando sair. Essa afirmação fez parte de sua petição contrária ao pedido da DraftKings de bloqueá-lo preliminarmente de trabalhar na Fanatics.

Orin Snyder, advogado da DraftKings, declarou com confiança que “a evidência contra o Sr. Hermalyn é clara”. No entanto, representantes de Hermalyn não responderam imediatamente aos pedidos de comentário sobre a petição.

A Fanatics, uma empresa renomada por vender camisetas e mercadorias esportivas, lançou sua casa de apostas esportivas no ano passado. A DraftKings, uma gigante das apostas esportivas, processou Hermalyn por sua mudança para a Fanatics. Hermalyn estava supervisionando os relacionamentos com os maiores clientes “VIP” da DraftKings.

A DraftKings alega que Hermalyn se encontrou secretamente com representantes da Fanatics na Califórnia, aceitou um cargo quase idêntico e baixou os planos de negócios do Super Bowl da DraftKings para compartilhar com seu novo empregador. Como resposta, a juíza federal Julia Kobick temporariamente bloqueou Hermalyn de utilizar os segredos comerciais da empresa ou de solicitar seus clientes ou funcionários. Apesar disso, ela permitiu que ele continuasse seu trabalho na Fanatics. Além disso, a DraftKings acusou Hermalyn de conduta adicional em um pedido separado, buscando impedi-lo de trabalhar para a Fanatics durante o período de um acordo de não concorrência.

Hermalyn respondeu afirmando que havia “ido além” para devolver documentos e dispositivos da DraftKings. Ele negou solicitar qualquer funcionário ou cliente da DraftKings e refutou a alegação de levar quaisquer segredos. Ele também negou as alegações da DraftKings de participar de um “esquema” de um ano como “agente duplo” para a Fanatics. Ele afirmou que havia “conhecido brevemente o CEO da Fanatics algumas vezes em eventos em grupo” antes de 2024.

Competição acirrada da indústria de apostas esportivas

A disputa entre DraftKings e Fanatics retrata a natureza altamente competitiva da indústria de apostas esportivas. Empresas como DraftKings e Fanatics estão constantemente disputando participação de mercado, e as apostas são altas. A indústria viu um crescimento rápido nos últimos anos, impulsionado por mudanças legislativas e avanços tecnológicos. Como resultado, as empresas estão cada vez mais protegendo seus segredos comerciais e relacionamentos com clientes.

O caso também destaca os desafios enfrentados pelos funcionários ao navegar por acordos de não concorrência e as consequências potenciais de mudar de empregador dentro da mesma indústria. Os funcionários precisam observar suas obrigações legais e éticas para com seus empregadores atuais e anteriores.

Este caso ainda está em andamento, e resta saber como o tribunal irá decidir. Independentemente do resultado, o caso levanta questões sobre a importância da transparência e integridade no local de trabalho e até que ponto as empresas podem e devem ir para proteger seus interesses.

Share it :

Recomendado para você
Shirley Pulis Xerxen
há 2 dias
Garance Limouzy
há 2 dias
Garance Limouzy
há 2 dias
Jenny Ortiz
há 3 dias